Projeto Qualidade de Vida

SAÚDE DO PROFESSOR

É uma preocupação muito grande dos estudiosos de assunto, já que interfere na saúde e afastamento do docente das atividades escolares.
E o principal motivo desses afastamentos são os transtornos psíquicos, conforme a pesquisa feita em Minas Gerais com os profissionais da educação.
O sobre esforço dos docentes na realização de suas tarefas, levando ao desgaste mental, porque estes ocupam o lugar central na sociedade, preparando o cidadão para a vida. Grande responsabilidade é do educador.

As transformações sociais, as reformas educacionais e os modelos pedagógicos derivados de trabalho dos professores provocam mudanças na profissão docente, estimulando a formulação de políticas por parte do estado. Até os anos relativa segurança material, de emprego estável e de certo prestígio.
Vários países como Alemanha, Inglaterra e França, a muito tempo vem se preocupando com a saúde do docente… mas o Brasil recentemente começou um trabalho tardio de estudo  do docente e suas enfermidades profissionais, riscos e acidentalismo típico. Cintia Albânia de Souza, estudiosa do assunto se mostre preocupada com a desatenção por parte do governo, que não leva a serio o assunto.
Pesquisas feitas em vários países, principalmente apontadas pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) em 1983, já apontava os professores como sendo a segunda categoria profissional, em nível mundial, a adquirir doenças ocupacionais, aquela que se adquiri ao longo da sua função, incluindo desde reações alérgicas a giz, distúrbios vocais, gastrites e até mesmo a esquizofrenia (VASCONCELLOS, 1997).
A saúde do trabalho docente e saúde escolar, ambas estão relacionadas com a vida cotidiana na escola, suas regulamentações e exigências, não aparecem na dos governos, nas áreas de educação e saúde publica (MARTINEZ 2003, pg 79).
Algumas doenças detectadas, que são oportunistas devido a debilidade que o professor se encontra:
Ø Bursites;
Ø Tendinites;
Ø Sinusites;
Ø Faringites crônicas e alérgicas;
Ø Dor de cabeça;
Ø Respiração rápida;
Ø Taquicardia;
Ø Problemas estomacais;
Ø Boca seca
Ø Tensão muscular
Ø Cansaço muscular;
Ø Calafrios ou tremores;
Ø Sensação de fraqueza e fadiga;
Ø As reações comportamentais (Síndrome de Burnout;
Ø Insônia
Ø Alimentação excessiva (que leva obesidade);
Ø Abuso de drogas;
Ø Perda de interesse por alimentação, pelo sexo, pela vida, etc…
Reações emocionais:
Ø Depressão;
Ø Pânico;
Ø Lapsos de memória;
Ø Nervosismo;
Ø Tensor (medo);
Ø Ansiedade;
Ø Inquietação e ira
Ø Baixa auto-estima.
Que devem ser tratadas com muita reflexão e seriedade. Lair Ribeiro mencionou recentemente em uma palestra: “Se você não tem tempo de cuidar da sua saúde, um dia você vai achar tempo para cuidar da sua doença”.
Preocupe-se Desde Cedo
Ø Uma alimentação adequada;
Ø Horas de sono suficientes para o descanso e recarregar as energias;
Ø Exercícios físicos regulares e orientados por um Educador Físico. Obs: Escolha uma modalidade que melhor se adapta;
Ø Não levando para casa o desgaste da sala de aula;
Ø Com excesso de álcool;
Ø Com o uso de fumo e drogas.
Professores: Alexandre e Mirtes